Hoje é o dia dela! Dia de Gabriela.

Estes são dois momentos de sua vida. Na primeira foto você e seu esposo Max,comemorando a vida. Na segunda foto, você posa marcando um momento de sua caminhada na escola.

Quando você ia nascer, seu pai pintou a casa de tinta azul, comprou um carro novo e pensou homenagear seu avô, o pai dele, com o nome de Gabriel .

Daí , no dia 05 de junho, nasceu você, a nossa Gabriela . E como a música, nasceu assim, vindo para o mundo trazendo muita alegria e fazendo bastante traquinagens.

Macapá , João Pessoa, Rio de Janeiro e até São Paulo não foram suficientes para você. Queria abraçar o mundo e saiu em busca de um espaço onde pudesse realizar melhor seu trabalho.

Assim, viajou por vários países e resolveu se fixar na China. Eita, lugar distante que só ouvia falar quando me mandavam ir pra lá, sem imaginar que ainda iria conhecê-la.

No entanto Gabriela você nunca abandonou sua família e os amigos do Brasil. Ao contrário , você cresceu em todos os sentidos, amadureceu ,mas a menina levada, peralta e carinhosa permanece em você.

Os momentos com a família são muito marcantes. Lembro que seu pai se perfumava todo para falar com você pelo Skype e quando você chegava ele ficava muito feliz e queria saber quem tinha recebido mais presentes.

Você
A legenda desta foto é sem palavras.

Se eu pudesse reverter o tempo, muita coisa eu mudaria na minha vida, mas aprendi que o valor de tudo o que vivemos está justamente em viver. Pronto, só viver.

Então, nós podemos agradecer por tudo que trilhados, pela família que temos, pelos amigos, conhecidos e tudo mais.

A agradecer à rua José Antonio Siqueira, onde você nasceu. Agradecer ao jambeiro por ter aguentado tantos pulos nos seus galhos, do quintal da escola Rondônia que serviu de campo de futebol para suas grandes jogadas, aos amigos moradores da ladeira e aos vizinhos que compreenderam as travessuras de sua infância, correndo de bicicleta até a casa da ” bruxa”.

Quando faltava luz, vocês carregavam os

colchões para a calçada , traziam os lençóis por causa das carapanãs e todos ficavam conversando , contando historias ou cantando, até o cansaço nos levar para dentro de casa para dormir assim mesmo: no escuro, com calor e carapanãs.

Ďesejo para você um feliz aniversário ao lado de sua nova família. Parabenizo também pela conclusão de seu primeiro mestrado e espero poder estar presente em Dublin, pois ainda lembro das horas em que copiava e fazia tuas tarefas da escola e todos de casa me reprovavam. Vejam agora como você mudou e já está caminhando para mais uma graduação.

Desejo agradecer à Deus por me escolher para cuidar de você e de Carolina que hoje cuidam tão bem de mim.

Com as bênçãos de seu pai que está sempre ao nosso lado, te digo:

PARABÉNS.

Nós te amamos.

COM SAUDADES:

Hoje é o dia de LARA!

Todos os dias são dias de Lara. Ela preenche todos nossos momentos desde ao acordar até adormecer e, mesmo durante a noite velamos seu sono nos dias de uma preocupação qualquer.

Foi no dia 22 de maio de 2015 que Deus nos presenteou com sua presença .Ele já sabia que em pouco tempo levaria vovô Clóvis e aí, do seu modo,aliviou a nossa tristeza nos envolvendo com a presença de uma criança, enquanto nos despediamos dele.

Parabéns para Lara e meus agradecimentos ao Júnior e a Carolina por permitirem que eu esteja acompanhando todos os passos do desenvolvimento de minha netinha, o que me revigora a saúde, me engrandece a alma e me ensina a cada dia a ser uma pessoa melhor.

Afinal de contas, sou uma vovó feliz!

Antes de você nascer.
Com tia Gabriela.
Com vovô Clóvis e mamãe Carolina

Você cresce tão depressa e já começa a fazer suas traquinagens.

Desbravando o armário.
Com tia Regina que sempre esteve presente.
No São João, em Parintins.
Este carrinho trás muitas lembranças e o Pandinha que ganhou de Max.
Só charme!
Na Disney de Hong Kong.
Tia Paty e mamãe Carolina, Carnaval em Parintins.
No primeiro aniversário.
Os abraços de vovó Sinamor.
Em Hong Kong com vovó Carmem.

As fantasias da Ilha de Parintins:

Minie.
Pirata

Caipira
Na piscina.
Baterista.
Uma boneca.
Mocinha.
Quando você se encantou com a bailarina.
Em Macapá com tia Jesuca.
Leitural
Primeiro discurso.
Wal, seu anjo da guarda.

Mamãe

Ainda lembro de você me ensinando a decorar um poema para eu recitar na escola , pelo dia das mães.

O final dizia assim: …Quer dizer mãe, este M tão perfeito. Que com certeza em minha mão foi feito, para quando eu crescer, pensar em ti.

Então, hoje minhas envelhecidas mãos ainda trazem o teu M desenhado e com ele as lembranças de toda uma vida que passamos juntas.

É por isso que eu gosto do dia das mães. Embora sabendo que todo dia é o dia delas, acho bom ter um dia voltado só pra você mamãe.

Daí eu já acordo pensando que você está toda linda, sentada no sofá da sala, esperando a visita dos filhos .

Estes vão chegando com seus netos e o presente. Ah! Os presentes!

Daí você conferia a lista mentalmente e ficava triste com as ausências, mas matutando o que teria acontecido.

Vinha o almoço. A hora da missa e o bate papo na calçada. Era uma alegria.

Fecha o portão para o Boby não fugir. Um dia ele foi mais longe e todo mundo levou ralho!

Fui morar longe, mas levei comigo as boas lembranças das alegrias , dos apertos financeiros, das doenças , das rezas, mas principalmente da sua bondade.

Não esquecia de ninguém. Lembro da D. Mimim que lavava nossa roupa.Do Gato que tirava água do poço. Da senhora lá do cemitério, da família que vinha do interior e se hospedava em casa.Da Lucinda que ajudava nas tarefas da casa.Da visita de D. Aurora e principalmente do barulho da máquina de costura de onde tirou o sustento e os mimos para nós.

Nos seus 80 anos, com todos os filhos.Da esquerda para a direita: Edgar, Jesuca, Teodorico, Regina, Edmar, Antonio e eu .

Mas , uma frase não esqueço . Você toda arrumada, aparecia na porta do quarto e falava: ” que tal?”

Você está perfeita ! Feliz!Apagando mais uma vela no bolo de sua vida.

Aí vai uma homenagem para minha tia Chiquinha. Uma grande amiga e mãe maravilhosa.Carlos Alexandre e Carlos Augusto , seus filhos, sabem muito bem.

Sua filha jesuina, mana Jesuca, ao seu lado, seguidora de sua bondade e mãe de todos nós.

Apagando as velas.
Família da caçulinha Regina Lúcia.
Você sempre maravilhosa!


A família da Regina

Achei umas fotos no baú da saudade:
A família de Ilza
Minha sogra Necy Maia e D. Nair Espínola que foram duas mães que ganhei em João Pessoa.

Nós três Regina, Carmem e Jesuca.
Tia Guiomar e a saudosa D. Aurora.
Ivani, mamãe Nair e Regina Lúcia.
Nice Montoril, mamãe Nair e Neucy Montoril
Mirian, tia Nilza e você mamãe.
Um sonho!.

Nossa querida, amada e inesquecível Chicuta. Minha Chicutinha !

Rosângela, Helen e Erika.
Rosângela e suas lindas filhas.
Neta Márcia e Jesuca
Familia
Márcia, nazareno e Ana Cristina.
Ana Cristina, Marcellus, Jesuca e Haroldo.
O clã da Regina.

Sao tantos os lindos momentos que vivemos e, em cada um de nós está o seu coração que unido aos nossos, nos transporta para junto de você mamãe. Tem aqueles que estão longe, tem os que se atrasam , mas pode esperar na sua cadeira ,que todos estamos chegando para lhe agradecer e desejar Um Feliz Dia Das Mães.

Esperando a família.
Com Edmar
Edgar Junior e sua esposa.
Karlena e seu pai Teodorico.
Teodorico e sua karlena

Hoje é dia de Carolina !

Menininha do meu coração

Eu só quero você a três palmos do chão

Menininha não cresça mais não…

( Vinicius e Tiquinho)

Carolina
Carolina

Esse é o desejo das mães.

Mas os filhos crescem e você hoje já é uma menina grande que cuidou de seu pai e hoje, cuida de mim.

Coloquei a foto sua na janela para que você veja alguns momentos que escolhi para lhe homenagear.

Carolina na janela.

Você sempre foi muito amiga da família .

Nós quatro.
Da esquerda para direita: Gabriela, Max , Carolina, Junior, Lara e eu, Carmem.
Regina Lúcia, mamãe Nair e Carolina.
Carolina e tia mãe Jesuca.
Com Carlinhos, em Xangai.
Um Natal Feliz!
Os Vascaínos.

As viagens com Gabriela e com a família toda.

Em Paris.

No trabalho…conheceu o Amazonas.

Em Juruá.
Felicidade em Juruá.
Na posse.

Despedida de Parintins.

Mas hoje , existe alguém que preenche todas as lacunas e que lhe dá força para continuar lutando por tudo que sonhou e que continua sonhando.

Na moda …
Nos rios…
Nas brincadeiras.
Nas festas…
No dia em que fiz 70 anos, você nos levou para Carneiros, onde vivemos um sonho.8
Felicidade! Brindando a vida com Verediano, mamãe Carmem, Regina Lúcia e Junior.

Carol, hoje eu gostaria de poder te ver sempre sorrindo. Teu sorriso é a marca de tua personalidade . Nunca te vi acordar se não for sorrindo nos cumprimentando.

Carolina, a vida te mostrou e te proporcionou caminhos. Percorrestes até hoje uma estrada onde fostes colhendo as coisas boas e superando as ruins. As difíceis, foram armas para superação.

Ainda guardas os tesouros de tua infância e de tua juventude. Permaneces a criança de um lindo coração no corpo de uma linda mulher. Forte, destemida e trabalhadora. Como diria Gabriela: Carolina, maravilha de mulher!

Ffeliz Aniversário!

Fique pequenininha…

E também não se esqueça de mim

Quando souber enfim de tudo que eu passei…

Que Nossa Senhora esteja sempre ao teu lado e do Junior, ajudando a criar Lara.

CARLINHOS OU CARLOS NILSON DA COSTA JÚNIOR

CARLINHOS e seus pais

Hoje, 25 de abril é o dia de nosso querido Carlinhos.

PARABÉNS PRA ELE !

 

 

 

São tantos sentimentos e tantas recordações que de forma alguma conseguirei expressar as alegrias e o amor que todos os familiares e os amigos demonstram por ele.

Convivemos por longos anos em João Pessoa, onde estudou e se formou.

Durante este período, morando em frente ao mar, compartilhamos nossos sonhos, nossas alegrias, nossos sofrimentos e nossas esperanças.

E assim, fomos aprendendo a conviver com as semelhanças e diferenças . Só que Carlinhos era sempre um garoto amável, educado e admirado por todos.

Junto ao Cristo Redentor
Com sua grande amiga Bela.

Como dizia alguém que inventei agora, é preciso aproveitar sempre os momentos e as pessoas que Deus coloca em nossas vidas para que depois tenhamos sempre as melhores recordações.

Hoje, sinto saudades de muitos momentos que vivemos. Lembra que você foi a junina pessoa que Clóvis sempre elogiou e conviveu com muito carinho?

Lembra do primeiro banho que Bela tomou no mar?

Lembra das Micaroas em frente à nossa casa?

Quando você passou no vestibular?

Das latas de leite Ninho que eu comprava para você comer no caneco para não sentir muito a ausência de sua casa?

Ah! Carlinhos, a lista é grande pois as reclamações apaguei_as todas..

Sempre , na cadeira de balanço, viajo para o tempo foi e escuto as músicas de seu tio nos acordando, as risadas de Gabriela, o sorriso de Carolina, os latidos de Bela e Luna e seu afeto por nós .

Hoje é o seu dia! Viva intensamente ao lado de sua companheira Gláucia, a quem escolheu por amor, ao lado de seus pais, irmãos e de todos os familiares e amigos.

Aqui vai uma foto sua e de Carolina para relembrar que sempre foi e será um primo irmão para ela e Gabriela.

 

MAIS POESIAS DE CARLOS NILSON

PATRIA GENTIL

BRASIL, PÁTRIA AMADA
TRIA
A TERRA AMA
O SOLO


DA TERRA
DO HOMEM DO BRASIL,
QUE DE FORMA VIL,
FOI USADO.

DAÍ SE FOR JÁ A REDENÇÃO,
DA REDE SEM AÇÃO,
INERTE,
COMO SÍMBOLO DA OPRESSÃO!

AÍ , A MASSA PENSA
E MOLDA
O LUTAR DO CIDADÃO
LIVRE!

 

 

img_61843157133289965786557.jpg

AUSÊNCIA DE REGINA

Sinto a ternura
feita de carne
– o teu corpo
E o tempero de tua alma
Me leva saudade
De tua ausência presente

A imaginação do amor
Constante
Que desejo
E quero
É o mesmo amor presente
Que sinto em ti: Regina.
Mulher amada.

 

 

RIO II
Corre,
Levando no leito calmo,
o que restou da vida,
O fim da folha caída.

Segue,
No caminhar constante
Levando lembranças,
Saudades e esperanças.

Vai,
Misturando às águas
O barro santo
Cheio de histórias.

E com a terra sagrada
Diluída na garapa gigante,
Desliza a tradição ferida
De um povo forte.

Segue a correnteza
Levando amores e ilusões
No andar constante
Que não tem volta
Mas leva com saudade
A vida que ficou

 

 

HARPIA
Surge o sol raiando. Madrugada que se acaba,
e seus raios, como uma samaúma que dá sombra,
\enchem de luz manhãs de aves canoras.

Saem dos ninhos. Majestade de penas
Que agasalha e adorna a coroa
da natureza à sua rainha das selvas.

Harpia, Harpia, rasga com tuas garras
A morte que te espreita com o homem
E busca liberdade e permanência!

Harpia, Harpia, senhora da floresta
E leviatã dos ares, busca de Baudelaire,
seu Albatrós, – senhor dos mares
Faz parceria e sustenta com astúcia e ardor,
A força que embala na selva e na praia
A grandeza de uma vida na orgia do amor.

 

LIBERTAÇÃO

Mais uma maravilhosa poesia de nosso querido Carlos Nilson.

No instante supremo,
no minuto único,
desses que só no momento de existir,
atingem o presente,
diga que estou pronto,
aliás, espero desde o início,
sem ao menos saber o que é o início!

Espero,
disso eu tenho certeza!
\eu até nasci esperando,
em uma secessão terrível de auroras.

Faz muito, estou pronto:
para deixar livre a prostituta cheia de complexos,
desnecessários e impróprios,
mas que machucam,
– e isso me faz melhor!

Estou pronto
a vomitar a verdade,
mesmo para salvar ladrões,
viciados,
necessitados
vendidos,
mas todos vivos
– e com muita honra!

A salvar os loucos,
os gênios
de grandeza,
os dos hospícios,
Estou pronto!

Diga a todos
estou aqui, irmãos!
Quantos outros não teremos,
bêbados,
lúcidos.
Nossos irmãos sim,
e não reparas isso!

Tu, louco,
eu também, nós:
devemos socorrer
mesmo os que não existem,
os que ainda vão nascer.
Ajudar a todos,
voando como poeira cósmica,
sem normas,
a formar uma grande roda,
e ver, no meio dela dançar,
na agonia da morte, a convenção.

ATO DE AMOR

Poesia do meu amigo Professor Carlos Nilson.

ATO DE AMOR

Não nasci de uma ficção
E nem de um clone metálico
E sim de um ato de amor
Com DNA livre que condena o sopro…
Das injustiças
Das mazelas
E das injúrias

Nasci com a força do amor
Como nasce um capim
E uma orquídea
Rasgando o ventre amado
De minha mãe.

Quero ser um louco
A perambular por aí,
Sem saber prá onde vou,
Prá onde fui,
Indo sempre no espaço
Buscando o inatingível
Soluçando o amor perdido
E encontrando o amor presente

Que sumam de minha frente
As turbulências da vida
Pois as derroto sem pudor
Violentando a convenção.

Rasgo o espaço como um raio
E mando às favas
Quem não viver como eu nasci
De um puro ato de amor.

Ato de Amor

Poesia de meu amigo, professor Carlos Nilson.

Não nasci de uma ficção
E nem de um clone metálico
E sim de um ato de amor
Com DNA livre que condena o sopro…
Das injustiças
Das mazelas
E das injúrias

Nasci com a força do amor
Como nasce um capim
E uma orquídea
Rasgando o ventre amado
De minha mãe.

Quero ser um louco
A perambular por aí,
Sem saber prá onde vou,
Prá onde fui,
Indo sempre no espaço
Buscando o inatingível
Soluçando o amor perdido
E encontrando o amor presente

Que sumam de minha frente
As turbulências da vida
Pois as derroto sem pudor
Violentando a convenção.

Rasgo o espaço como

Num tempo em que estávamos todos por aqui.

Esta foto tem 45 anos ! Foi tirada no dia 06 de janeiro de 1974, no antigo aeroporto da cidade de Macapá. Dia do nosso casamento.

Não fosse Fernando Remédios, um amigo de longas datas , ela continuaria no álbum de casamento, com sua história engavetada no baú da minha solidão.

É que ele estava querendo fotos do antigo aeroporto de Macapá que em breve vai inaugurar um lindo e moderno aeroporto.

Foi aí que me deparei com esta e outras fotos que além de um pedaço do pequenino aeroporto daquela época, mostra momentos inesquecíveis com pessoas queridas e datas importantes de minha vida.

Do aeroporto, lembro que era pequeno e as pessoas que foram se despedir de nós, ficaram fora para que os passageiros pudessem entrar e despachar suas bagagens.

Agora, esta foto , diz muito para mim. O carinho e o cuidado de meu querido irmão Antonio, representado no abraço que me envolve e me tranquiliza para a nova vida que vai começar.

Na escada do avião está Clóvis. O Maia. Me esperando com muita paciência, coisa que ele poucas vezes demonstrou ter.

Mas naquele tempo, era assim.

Naquele tempo estávamos todos neste planeta. Podíamos nos abraçar, podíamos brigar e nos conciliar. Podíamos continuar a nos amar.

Ah! Antonio foi um parceiro. Sempre me ajudou e quando as coisas estavam difíceis, bastava chamar. Lembro que me ensinou a guardar os documentos que eu sempre perdia. Ainda tenho a visão dele chegar com um monte de pastas com identificação de luz, água, telefone, aluguel…

Papai e sua sobrinha, minha prima, também estavam lá. Mais elegante do que nunca, foi com a comitiva.

Não poderia faltar minha mãe Nair, minha irmã Regina Lúcia, Sonia Deltetto esposa do meu irmão Teodorico.

Tenho certeza que minha irmã Jesuca e meus outros irmãos também estavam. Pena que não saíram na foto.

O aeroporto que vai ser inaugurado, vai fazer parte da história de muitas famílias que moram em Macapá.

Tenho certeza de que muitas pessoas minhas contemporâneas têm suas histórias para contar.

Eu, particularmente, tenho muitas lembranças. Pena que não consigo externar meus sentimentos.

Foi aí que iniciei mais uma etapa de vida. Foi uma linda viagem . Foi um dia em que ainda estávamos todos juntos por aqui:

Papai Chico, mamãe Nair, meus irmãos: Jesuca, Edgar, Edmar, Teodorico, Antonio e Regina Lúcia.

E a principal personagem desta data, meu esposo Clóvis Roberto Maia que partiu deixando saudades e que me levou naquele avião para lugares maravilhosos que nunca havia pisado.